Sacos e garrafas para laticínios biodegradáveis

3 de agosto de 2016

AIMPLAS concluiu a pesquisa que tornou possível o desenvolvimento de novos biopolímeros a partir dos quais novos podem ser fabricados garrafas, bolsas e tampas biodegradáveis resistentes à esterilização e pasteurização, de modo que podem conter produtos laticínios como leite fresco, smoothies e iogurtes com probióticos.

Trata-se do projeto BIOBOTTLE, desenvolvido no âmbito do Sétimo Programa-Quadro da União Europeia e que tem sido coordenado pela AIMPLAS. Com um orçamento de um milhão de euros, participaram sete empresas e centros de tecnologia de cinco países diferentes: o alemão VLB, o belga OWS, o italiano CNR, os portugueses VIZELPAS e ESPAÇOPLAS, e os espanhóis ALMUPLAS (Almussafes) e ALJUAN ( Ibi).

O objetivo do projeto era garantir que os novos recipientes biodegradáveis, fabricados com os biopolímeros desenvolvidos no projeto, atendessem aos requisitos mecânicos e térmicos exigidos para essas aplicações e que passassem pelas análises microbiológicas sem afetar as propriedades organolépticas do produto. O resultado foram garrafas e tampas monocamada e sacos multicamadas capazes de suportar temperaturas de até 95 graus Celsius.

Por meio de um processo de extrusão reativa, foi possível modificar os materiais comerciais existentes de forma que atendessem a todas essas expectativas e fossem processados ​​por métodos convencionais para obtenção dos diferentes formatos de embalagem.

A partir dos novos biopolímeros desenvolvidos, que também passaram nos testes de compostagem realizados, serão obtidas as embalagens para laticínios descritas acima. Essas embalagens, mesmo com os preços atuais dos materiais biodegradáveis, aumentam em menos de 10% o custo final do produto embalado e localizado na prateleira.

Você pode estar interessado em continuar lendo ...

Traduzir »